Sábado, 05 de Abril de 2008

 Estou há muito tempo para escrever um post da minha autoria que pudesse ter coerência e nexo, e que não fosse demasiado parvo nem repetitivo.

 Aqui estou a fazer mais uma tentativa e hoje até já tenho umas ideias na cabeça...Tenho tantas saudades da minha infância que às vezes desejo tê-la de novo...Não posso dizer que tenha sido perfeita, nem lá perto...Mas cada vez mais tenho a certeza que ignorância é felicidade e apesar de ouvir muito: a verdade libertar-te-á isso ainda ñ aconteceu e tudo o que consegui provar com a verdade foi desilusão e solidão.

 Quando era criança estava sempre acompanhada e não me lembro de alguma vez ter experimentado a solidão a não ser quando brincava absorvida em todas as fantasias que sonhava e que me faziam voar... Cada vez mais me sinto só, cada vez mais sinto que por mais acompanhada que esteja sozinha estou e sozinha serei... Criou-se (ou criei) um abismo entre tudo o que sou e tudo o resto à minha volta. Tudo não passa de uma realidade virtual, ou pelo menos de uma realidade que nunca será a minha.

 Todos os sonhos e fantasias que tinha aquando criança foram desaparecendo com o revelar da verdadeira vida, tornando-se meros pesadelos ou mesmo sonhos sem qualquer tipo de sentido em que não sou eu ou mesmo onde a realidade foge ao próprio controlo do Mundo.

 O sentido de vida que estava bem seguro no meu peito, na minha alma, no meu ser deixou de existir, existe apenas uma leve nuvem, uma aragem de tudo o que considerava certo dentro de mim, não de que o conseguiria, mas do que realmente queria e sonhava para mim... A minha fome de viver que era grande e dava para mim e para mais meio mundo desvaneceu quando a verdade se apoderou de mim.

 Sou apenas um mero corpo com a réstea do que antes chamava de alma, sou um monstro e ninguém sabe, tornei-me numa aberração que sempre condenei. Quis fazer-me mártir quando sinto ciúme, inveja, e nada. Sinto um nada, sinto o nada que sou e o nada em que me tornei; a vontade de ser especial, de ser um herói suplantou-me porque absorvi tudo o que um super-herói adquire... uma grande solidão, e o afastamento de todos que temos de proteger. Nunca me senti verdadeiramente protegida...(excepto bem recentemente num caso bem particular).

 Cheguei a uma altura da minha vida em que só vale a pena ser vivida por todos os que não quero abanonar...sinto-me mal pela dor que lhes iria causar se fizesse alguma coisa a mim própria...às vezes peço-Te para que outros se encarreguem disso(tipo acidente), só para o sentimento de culpa e de fracasso não aumentar...

 Tenho saudades da minha infância e de todos os que fizeram parte dela, tenho saudades do que era porque não sabia que iria deixar de voar, muito menos deixar de sonhar... 

 

publicado por 994marie1904 às 00:49


mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30